Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

O Plano C para a Síria, por Luís Garcia

 

 

O Plano C para a Síria.jpg

 

Luís Garcia  POLITICA    

 

Qual a relação entre os ataques aéreos e terrestres da Turquia no norte da Síria, nos últimos 7 dias, com a primeira conquista efectiva do norte-americano New Syrian Army (NSA, ESA, Maghawir Al-Thawra Army, ou o raio que seja) em território sírio na noite passada? É isso que vou tentar analisar, e é aí que entra o título do artigo, o "Plano C" norte-americano para a conquista da Síria.

 

Mas antes demais, há que perguntar o que é o New Syrian Army (NSA)? Boa pergunta, sem dúvida. Há meio ano cheguei a falar dele na série de artigos "Resumo do conflito Sírio" que nunca cheguei a acabar devido à complexidade do tema, da enorme dinâmica que leva à constante aparição e/ou remodelação de grupos terroristas, e por serem artigos que manifestamente não despertaram o interesse dos leitores (a ver pelo número de visitas). Mas bom, agora é incontornável falar do NSA, sobre o qual daqui a uns tempos, de forma vaga, confusa e parva, se farão menções nos média/mídia de propaganda ocidentais. O NSA, ao contrário do que o nome indica, não são novos, nem sírios, bem pelo contrário, são as velhas forças armadas terroristas dos EUA, Reino Unido e Jordânia, e encontram-se há meses estacionados na Jordânia junto à fronteira com a Síria, há espera de ordens. Existem várias notícias dos últimos meses (como esta ou esta) nas quais foram por diversas vezes citados em acções relacionadas com tentativas de conquistar território ao ISIS, mas só agora se realizou uma conquista efectiva no sul da Síria que, a meu ver, tem tudo a ver com o que se tem passado nos últimos dias no outro lado do país, no norte da Síria! Vamos por partes.

 

Desde o dia 25 de Abril de 2017 a Turquia tem atacado de forma contínua território sírio controlado pelas FDS (curdos vendidos + NATO), certo? Certo, provas não faltam. Aqui ficam uns 2 exemplos por dia, só para termos uma noção:

 

25 de Abril:

26 de Abril:

27 de Abril:

28 de Abril: 

29 de Abril:

 

E o que se disse durante este dias sobre os ataques da Turquia (membro da NATO) à zona do norte da Síria controlada pelas FDS (curdos vendidos + NATO)? Nada, absolutamente nada. Ontem nas notícias do SIC, o pacóvio de serviço falou da reacção dos norte-americanos, que deslocaram meios e tropas para junto da fronteira sírio-turca, mas esse mesmo pacóvio não soube explicar a "coisa", pobre coitado. Ah, e tal, os EUA vão prá'li para evitar que a Turquia ataque os curdos. Eheheheh, muito bem, agora vai comer a papinha e depois vai fazer lóló, está bem? Puta que pariu! Agora a sério, como se explica que um membro da NATO bombardeie território da Síria controlado pela NATO e os EUA levem 6 dias a reagir para... não fazerem absolutamente nada além de aproximarem uns peões e umas torres para junto da fronteira síria-turca? Ah, não se explica, não é? Ah, não bate certo pois não? Ah, que confusão, ainda agora dizíamos que os turcos tinham provas do ataque químico que NÃO aconteceu em Khan Shaykhun, agora temos de dizer que eles atacam os curdos... tsztsz... curto-circuito! Mas já lá vamos. Deixem-me rebobinar um pouco.

 

É verdade que Erdogan troca vezes sem conta de ideias, é imprevisível e é difícil de perceber a quem respeita ou de quem recebe ordens, se dos EUA se da Rússia. Provavelmente de nenhum! Ou talvez dos 2, aleatoriamente, ou não! Certo é que Erdogan consegue realizar proezas do género: no mesmíssimo dia ameaçar aniquilar o "regime" sírio e, imagine-se, permitir que os seus protegidos "rebeldes sírios" sejam atacados pela força aérea russa a partir do espaço aéreo turco. Confuso? Metam confusão nisso! Por isso, quando o tema é Erdogan, não tenho certezas, apenas opiniões o mais lógicas possível, o que raramente é possível!

 

 

Ainda assim, tentemos perceber se se pode retirar algum sentido destes últimos eventos.  A Turquia, sem motivo lógico, do nada, lembrou-se no dia 25 de começar a bombardear posições das FDS (Forças Democráticas Sírias, compostas por YPG, PKK, curdos sionistas iraquianos e NATO, que é como quem diz EUA, França, Polónia, Austrália, etc). Ora, apesar do nome, esta malta claramente não é síria. Mais, apesar de no ocidente ser apresentada como uma força curda de luta pela (absurda) independência de um tal de Curdistão na Síria (ler Terrorismo-colonização da Síria), para mais não servem que disfarçar a ilegal ocupação da zona síria mais rica em petróleo e gás por parte dos EUA e dos seus estados vassalos membros da NATO. Tendo isto em conta, estes ataques da Turquia (também membro da NATO) parecem-me (e é uma opinião pessoal sem base em prova alguma) ser um maquiavélico acordo com a Rússia com o objectivo de mostrar aos curdos sírios e aos curdos turcos o quão estúpidos e ingénuos são para a acreditar nas promessas norte-americanas de um estado curdo independente por cima de terra roubada à Síria. Sim, era esse o "Plano B" de John Kerry, criar um Curdistão, pensado em função da vontade de roubar petróleo e gás à Síria, não para criar um paradisíaco oásis cor-de-rosa para curdos, ora essa! Confundir meios com fins, ora essa! Era esse o Plano B, mas o Plano B anda a cair aos pedaços e, na perspectiva norte-americana, "os curdos que se fodam"! Arranja-se um Plano C e um D se for preciso, com ou sem curdos, inclusive com o genocídio total de curdos, se a tal for preciso chegarem os norte-americanos de forma a poderem gamar o gás sírio todo! E construir gasodutos onde tugas-mongas da NATO farão vigília-zombie 24h/dia de metralhadora na mão! 

 

Voltando ao assunto, a melhor maneira de convencer os ingénuos curdos de que é imensamente estúpido confiar em norte-americanos, é ter a Turquia (membro da NATO) atacando deliberadamente as FDS (e, em consequência, a própria NATO) sem qualquer reacção dos EUA/NATO! Pois claro que os EUA/NATO não vão bombardear a Turquia (NATO)! Com isso sonha Putin, encurralar os EUA de tal modo que sejam os EUA a correr com a Turquia para fora da NATO! A partir desse dia a Turquia não tocaria mais na Síria pois, caso o fizesse, a Rússia poderia declarar guerra à Turquia sem declarar guerra à NATO, ou seja, sem conflito nuclear global! Por isso os EUA não reagem, estão encostados à parede!

 

 

 

 

O melhor que podem fazer é queimar gasolina passeando pela fronteira sírio-turca com os seus brinquedos bélicos, enquanto aquela merda de símbolo de terror, caos e barbárie vai abanando ao vento: 

 

E assim temos Turquia bombardeando FDS a seu belo prazer, enquanto curdos observam o quão se estão cagando a NATO/EUA para eles! E parece que já estão a acordar, dentro do YPG já se ouvem vozes de descontentamento de malta que já percebeu que os EUA não estão lá para os proteger ou criar Curdistões, mas sim para proteger interesses nacionais norte-americonas. E assim temos Erdogan fazendo um enorme favor à Síria (soa absurdo não soa?), dizendo indirectamente aos curdos para esquecerem essa estória da treta de Curdistão na Síria,  entregarem de forma pacífica o norte da Síria a quem tem soberania sobre esse território (o governo e forças armadas sírias) e mandarem os EUA ver se chove no deserto! É um facto, alguns membros do YPG já vieram a público afirmar que estão cancelados os acordos com os EUA/NATO sobre o roubo de território à Síria! Outros vão dizendo o contrário, enfim...

 

Mais, para provar que essa malta não está a brincar, estão aí 2 acontecimentos de grande importância.
 
Primeiro, o incremento (aparentemente ilógico mas real desde há semanas) nos últimos 2 dias de forças russas na zona ocidental das FDS (ver mapa acima, mancha amarela à esquerda). 
 

 

Não há nada de ilógico se se compreender o que disse nos parágrafos acima. Pode parecer ilógico que em zonas FDS (curdos vendidos + NATO) se encontrem agora tropas russas e bandeiras sírias, mas não é. Não é ilógico nem tampouco significa uma aliança Rússia-EUA, ahahahah, ora essa! Não, apenas prova que os curdos vendidos, ou parte deles, acordaram para a vida nas últimas semanas (e sobretudo nos últimos 7 dias) e que os EUA estão perdendo controlo da parvalheira de Plano B (aka Curdistão, aka terrorismo-colonização da Síria) de John Kerry. Daí a activação do Plano C, que falarei de seguida, depois de vos mostrar uma foto e um vídeo onde se pode ver a bandeira da Síria hasteada perto de Afrin, em pleno território das FDS:

 

Bandeira síria içada junto a Kharabat Sharanli 

C-w9aKnWAAItp9p.jpg

 

Bandeira síria içada em Ayn Daqnah

  

Segundo, a implementação do Plano C. A sério, vejam o que o Império da Guerra (EUA) anda a aprontar no sul da Síria! Depois do Plano Zero (criação de uma falsa guerra civil síria), do Plano A (ISIS conquistando a Síria para criar um Sunistão) e Plano B de John Kerry (FDS conquistando parte da Síria indirectamente, através da conquista de território aos ISIS anteriormente conquistado por este às forças armadas sírias), agora avançam com o Plano C, como eu lhe chamo! E o Plano C é invadir a Síria pelo sul, usando para o efeito a treta de New Syrian Army (EUA + Reino Unido + Jordânia) preparado há meses, estacionado na Jordânia junto à fronteira com a Síria e que esporadicamente tem realizado sem sucesso ataques contra o ISIS. Finalmente e, não me parece coincidência, ao mesmo tempo que os EUA enviam desesperada e impotentemente tropas suas para a fronteira turco-síria, a norte, que não pararão de forma alguma ataques turcos contra FDS, os EUA avançam com esta medida de desespero a sul. Na madrugada de 30 de Abril para 1 de Maio conquistaram no sul da Síria território vazio "controlado" pelo ISIS, um pedaço de nada, ou seja, um pedaço de deserto absolutamente vazio. Vejam no google earth:

NSA 1.jpg

 

NSA 2.png

 

Para quê? Mmmm, eu creio que seja para poderem controlar em segurança um pedaço de terra onde possam fazer aterrar mais tropas e equipamento de pára-quedas. Aliás, quem já lá meteu os pés só pode ter chegado de pára-quedas, se pusermos de parte a hipótese de terem chegado por terra com a total permissão do ISIS, não é? Olhem bem onde se encontra o pedaço de vazio que os EUA (New Syrian Army) acabou de conquistar:

 

nsa 3.jpg

 

Neste mapa do syriancivilwarmap.com vê-se claramente como a posição conquistada pelo NSA/EUA se encontra rodeada por território do ISIS sem fronteira com a Jordânia, não é? Portanto quem lá chegou, chegou de para-quedas, imagino, e não deve ter tido grandes dificuldades graças ao vazio total e às infinitos meios-aéreos dos EUA. 
 
Mas aí está, meios aéreos que os EUA têm e que os "rebeldes" terroristas da região de Daraa não têm de certeza! Ainda assim, já vejo, de forma ilógica, fontes pró-"rebeldes" terroristas avançarem que a conquista terá sido feita pelos "rebeldes" da região de Daraa, a zona verde no canto inferior esquerdo do mapa acima. Não têm provas do que que dizem, eu também não tenho provas do contrário, mas não se conquistam mais de 100km contra o ISIS durante uma noite! E mais, conquistar 100km, durante uma noite, para alcançar e controlar uma posição vazia no meio do deserto!?! Como assim? Vejam o que mais ou menos supõem os pró-"rebeldes:
 

nsa 4.jpg

 

Aquela faixa de 100km de verde a mais é suposição. Além de absurda, o New Syrian Army não faz referência a ela. Esta versão não faz sentido nenhum!
 
Portanto, o  New Syrian Army, parece-me, será a nova tentativa do Império do Caos, que só pode viver de guerra, de guerra infinita, para no mínimo continuar a desestabilizar a Síria. A partir daquele pedaço de deserto vazio, expandir-se-á nos próximos dias e semanas de forma a controlar uma parte daquele território do ISIS que neste momento colapsa face aos avanços do exército sírio em torno de Palmira (como também se pode ver no mapa acima). Veremos no que dará este Plano C anglo-jordano-gringo!
 
 
Uma explicação alternativa para esta primeira conquista efectiva de território pelo New Syrian Army (NSA) na Síria é dada pelo pessoal do Syrian War Daily. Segundo estes esta brincadeira de mau gosto norte-americana não será um plano C de conquista/desestabilização da Síria, mas apenas uma pragmática medida dos EUA para prevenir que as Al-Hashd al-Shaabi (Forças de Mobilização Popular do Iraque), após concluírem a reconquista de território do seu país contra o ISIS, venham, como prometido, apoiar as forças sírias na conquista de território sírio contra o mesmo ISIS. Ao criarem uma zona tampão de NSA, os EUA tentarão evitar que as Forças de Mobilização Popular do Iraque entrem na Síria. Enfim... Da guerra vive a pobre economia norte-americana...
 
Enquanto escrevia este artigo, a Turquia aparentemente reatou os ataques com peças de artilharia Howitzers e lança-roquetes T-122 Sakarya MLRS a partir da cidade turca de Kilis. Ainda não há imagens disponíveis.

 

Luís Garcia, 02.05.2017, Ribamar, Portugal

 

 leia mais artigos sobre a Síria aqui

 

 
Vá lá, siga-nos no Facebook! :)
visite-nos em: PensamentosNómadas